Clubes do Rio Grande do Norte – Associação Cid de Desportos (Mossoró)

Tendo como abnegado mais destacado o desportista Cosme Braz, excelente técnico de telefonia, que integrava o quadro de funcionários da SERTEL (Serviço Telefônico de Mossoró), primeira empresa responsável pelo funcionamento deste tipo de comunicação na cidade, o Cid também se constitui numa agremiação que revelou excelentes craques para os chamados grandes clubes da terra de Santa Luzia.
A ideia da denominação do clube deu-se numa justa homenagem ao jovem Cid, filho do então prefeito da cidade, Jerônimo Vingt Rosado Maia, falecido no dia 4 de abril de 1957, com a tenra idade de sete anos.
A estreia do clube amarelo e verde (predominância do seu uniforme de jogo) aconteceu na tarde de 22 de abril de 1960, no então estádio da Rua Benjamim Constant, em partida válida pelo campeonato da cidade, patrocinado pela L.D.M, diante do Potiguar, sendo derrotado pelo placar de seis tentos a um, cuja súmula, a seguir registramos. Cid: Neném; Miro e Luiz; Altevir, Zé Pinheiro e Antônio Pirão; João, Manoel (Edmílson), Queixinho, Tonho e Pedro. Potiguar: Romildo Nunes; Sitonho e Walney; Edílson, Tino e Pedrão; Toinho, Caluca, Miranda, Nonato e Zé Maria. Os gols da partida foram assinalados por intermédio de Pedrão (contra), para o Cid, cabendo a Miranda, por quatro vezes, Caluca e Zé Maria, os tentos do quadro principal. Árbitro do encontro: Alberto Mendes de Freitas, assistido nas bandeiradas por Manoel Leonel e Zuca Severiano. Renda: Cr$ 3.900,00.
A direção técnica do Cid esteve por vários anos confiada a Haroldo Vitorino, um estudioso do futebol, e que prestou relevantes serviços ao auriverde dos Pereiros.
Na temporada de 1961, o Cid contou com esta formação base: Dedé; Miro e Celso; Zeca, Toinho e Antônio Pirão; Simeão, Zé Maria, Louro, Mucuim e Edmílson.
Já em 1962, o nosso focalizado utilizou esta onzena: Itamar; Ruído, Miro e Zaídem. Raimundo e Pinta; Chico Verde, Manoel, Caleca, Zé Maria e Simeão.
Por fim, em 1966, último ano de sua permanência no nosso futebol, foi a seguinte a sua formação: Moacir; Queixinho, Mavinier, Xexéo e Feijão; Pinta e Zeca; Dedé, Vermelho, Cooperativa e Diomedes.

Fonte: Instituto de Pesquisa Olivar Monte

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.