Excursão do Nacional Futebol Clube (Manaus – AM) ao Pará em 1919

É o ano de 1919, após o Nacional conquistar o título de tetra-campeão amazonense de futebol, que o clube alvi-azul recebe um convite da diretoria do Paysandu, para se fazer presente em Belém para uma série de jogos no Pará.
O presidente do Nacional, senhor Armando Mendes, prontamente aceitou o desafio, e tratou de organizar sua equipe para a pioneira excursão. Seria a primeira vez que uma equipe do futebol do Amazonas visitaria outro estado brasileiro.
Para presidir a delegação nacionalina foram definidos os senhores Álvaro Maia, Frederico Gonçalves e Mário Bayma. Os jogadores convocados foram os seguintes: Nery, Rodolfo Gonçalves, Fernandinho, Amadeu, Cangalhas, Orlando, Pequenino, Secundino,Azevedo,Jurandir, Leonardo, Craveiro e Antoniano.
A ida do Nacional à Belém foi uma verdadeira sensação em Manaus, e a população foi em peso para o Porto assistir o embarque dos jogadores. Uma banda de música do exército estava no porto e autoridades do governo também estavam presentes.
Às 9 e meia da noite do dia 9 de dezembro de 1919,o vapor Tejo partia levando a bordo o time nacionalino. A enorme multidão no porto, em êxtase, soltava gritos de boa sorte, foguetes e aclamações,ao som da banda musical.
Após 7 dias de viagem, navegando pelo Rio Amazonas, o vapor Tejo finalmente chegava em Belém. A população paraense foi também em peso receber os amazonenses no porto. Era o dia 16 de dezembro.
A banda de música da polícia do Pará tocou seu vasto repertório no desembarque dos nacionalinos. Autoridades e agremiações de Belém foram saudar os visitantes. Os amazonenses, acompanhados por uma multidão, embarcaram em automóveis que estavam os aguardando e fizeram uma carreata pelas principais ruas de Belém. Depois se dirigiram ao “Café da Paz” onde ficaram hospedados.

Ficou decidido que o Nacional realizaria 4 jogos.Porém não jogariam com o Remo devido ao clube azulino estar de relações cortadas com o Paysandu (o organizador da excursão interestadual). O resultado das partidas foram os seguintes:

NACIONAL 2×5 PAYSANDU / Local : Estádio do Paysandu / Data: 21 de dezembro de 1919 / Árbitro: Galdino Araújo / Gols: Leôncio (3),Aristides e Zito para o Paysandu. Rodolfo e Jurandir para o Nacional.

NACIONAL 0x3 COMBINADO PAYSANDU – BANCO ULTRAMARINO / Local: Estádio do Paysandu / Data: 25 de dezembro de 1919 / Árbitro: Galdino Araújo / Gols: Astrogildo (2) e Artur Moraes.

NACIONAL 3×1 NACIONAL DO PARÁ / Local: Estádio do Paysandu / Data: 28 de dezembro de 1919 / Árbitro: Maurílio Guimarães / Gols: Craveiro, Rodolfo e Orlando para o Nacional manauara. Everaldo para o Nacional paraense.

NACIONAL 0x7 PAYSANDU/ Local: Estádio do Paysandu / Data: 01 de janeiro de 1920 / Árbitro: Ângelo Marques / Gols:A strogildo (5) Leôncio (2)

Após o último jogo com o Paysandu, o Nacional despedia-se de Belém, embarcando no mesmo vapor Tejo rumo à Manaus.
Enfim, no dia 11 de janeiro de 1920, o vapor singrava a baía do rio Negro, chegando a Manaus. Novamente a multidão se fez presente no porto para recebê-los. Embora o Nacional não tenha feito uma boa campanha,a sociedade amazonense entendia que o importante era competir e levar o nome do Amazonas aos rincões mais distantes do Brasil.
A delegação nacionalina, comandada pelo senhor Mário Bayma, foi acompanhada do Porto até a sede do clube (na Estrada de Epaminondas) por grande massa de torcedores.Houve então ali uma grande recepção e um animado baile que varou a madrugada. Afinal, se comemorava também a primazia do Nacional ter ido tão longe numa excursão pioneira, coisa que nenhum clube do Amazonas tinha feito antes.

Fonte: Gaspar Vieira Neto

Compartilhe nas redes sociais....
Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter
Pin on Pinterest
Pinterest
Email this to someone
email

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *